Guia de Business Intelligence: para sua empresa alcançar as metas em 2020!

Em tempos de transformação digital e a alta disputa por market share de todos os segmentos, o Business Intelligence para empresas se tornou uma estratégia vital. O conceito dessa inteligência de negócios, ou BI, nada mais é do que a união entre tecnologia e informação. 

A partir de um conjunto de sistemas, processos e ferramentas, o BI coleta, organiza, armazena, avalia e compartilha um grande volume de dados. Sua função principal é dar sentido a tudo isso e oferecer um embasamento mais sólido a fim de guiar a tomada de decisão e preparar a empresa para desafios futuros de uma forma muito mais proativa.

No ambiente corporativo, ele é utilizado para auxiliar a gestão e a administração do negócio por meio das informações disponibilizadas, entre outros benefícios. Reunimos em um único guia tudo o que você precisa saber sobre Business Intelligence. Vamos começar? Boa leitura!

Entenda o que é Business Intelligence e saiba como aplicá-lo nas empresas

Como este artigo se propõe a ser um guia completo de consulta para você, vamos começar pelo significado. Business Intelligence (BI) é uma expressão em inglês, que pode ser chamada de Inteligência de Negócios ou ainda Inteligência de Mercado (em português). Seus princípios incluem:

  • processamento e coleta de dados;
  • agrupamento das informações (data warehouse);
  • organização e geração de insights por meio de painéis de indicadores (dashboards) e relatórios visuais, com gráficos;
  • apoio para a tomada de decisão a partir de dados qualificados e analisados;
  • desenvolvimento de ações de acordo com o BI e o planejamento estratégico;
  • monitoramento dos resultados.

O BI é possível graças à união entre tecnologia e informação. De forma bem simples, o conceito pode ser explicado como a aplicação de inteligência à coleta e à interpretação dos dados coletados com o auxílio de softwares. Quando chegam até os gestores, as informações extraídas não são aleatórias, já que foram transformadas em insumos valiosos para melhorar a tomada de decisão e acompanhar as demandas do mercado.

Aplicação nos negócios

Como apoio à área gerencial, o Business Intelligence para empresas proporciona uma visão sistêmica do negócio, transformando um grande volume de dados em insights. Não é por acaso que a previsão da consultoria Gartner é de que o mercado de BI movimente US$ 22,8 bilhões agora em 2020. De acordo com o relatório Wisdom of Crowds Business Intelligence Market Study, o recurso é implementado pelas empresas pelos mais diversos objetivos: 

  • tomar decisões mais certeiras e com embasamento em dados;
  • melhorar a eficiência das operações em todos os níveis organizacionais;
  • impulsionar a vantagem competitiva no mercado;
  • valorizar o relacionamento com o cliente, investindo em fidelização;
  • aumentar a receita com mais vendas;
  • aprimorar a gestão de risco e compliance (dentro das normas).

Com o crescimento das mídias sociais, o BI precisou acompanhar o mesmo ritmo e se inovar para seguir como uma ferramenta estratégica. Alguns softwares personalizados permitem monitorar o histórico de relacionamentos nas plataformas digitais. Dessa forma, conseguimos desenvolver ações mais eficazes para divulgar produtos, serviços ou captar clientes.

Conheça os principais benefícios de BI no ambiente corporativo

Inovação é muito mais do que um diferencial, é o caminho para ganhar vantagem competitiva. Para torná-la viável, muitas empresas têm adotado o Business Intelligence como ferramenta para antecipar tendências, acompanhar o mercado, entre outros benefícios que a análise de dados traz. Então vamos conferir as principais vantagens? Continue a leitura!

Antecipação de tendências

Quando trabalhamos com um grande volume de análise de dados, temos acesso aos mais diversos insights. Um dos maiores trunfos de contar com o BI é possibilidade de antecipar tendências, já que a ferramenta acompanha o comportamento do mercado. Aliás, esse é o próximo benefício que vamos trazer para a nossa lista.

Análise de mercado e oportunidades

Com o auxílio de softwares e do Business Intelligence, o acompanhamento dos dados é feito em tempo real. Dessa maneira, fica muito mais fácil analisar o mercado e todas as suas movimentações. Ao ficar de olho no que acontece à sua volta, você encontra oportunidades e pode trazer soluções inovadoras, além de se posicionar à frente dos concorrentes.  

Aprimoramento das métricas

O BI facilita o processo de análise, consolidando todas as informações. Ao ter tudo organizado em mãos, indicadores de performance e métricas têm maior precisão para entender o comportamento do consumidor. Além de facilitar as decisões estratégicas, tendem a trazer retornos mais satisfatórios quando bem utilizados. 

Impacto na experiência do cliente

Ao compreender o desejo de consumo, você consegue aprimorar cada vez mais a experiência do cliente e torná-la positiva. Aliás, vamos combinar que focar na experiência tem sido o melhor diferencial para empresas que perceberam o valor de um bom atendimento. Encantar o cliente é a melhor forma de conquistar, atrair e fidelizar. 

Apoio no planejamento de gestão

Hoje é quase inviável pensar em gestão sem o auxílio de um software. Afinal, os recursos tecnológicos foram criados para nos ajudar. O papel do Business Intelligence para empresas é otimizar nosso tempo ao reunir as informações que precisamos a fim de fazer o negócio crescer conforme as expectativas do mercado.

Suporte na tomada de decisão

Estamos falando bastante sobre esse tema aqui, não é? Ações estratégicas têm importância vital para manter as empresas sustentáveis. Isto é, competitivas no mercado e interessante aos olhos dos clientes. No momento em que você tem as informações certas e na hora certa sobre o que acontece ao seu redor, a tomada de decisão baseada em dados é beneficiada.

Gestão de riscos e menos erros

Um banco de informações consolidadas e organizadas, mesmo que em um grande volume, ajuda a prever riscos e a preparar a empresa para lidar com eles. O acervo também reduz as chances de erros e de imprevistos. Lembre-se de que uma das maiores vantagens do Business Intelligence é estruturar dados, aleatórios à primeira vista, e transformá-los em insights.

Redução de custos e aumento da receita

Quando a empresa tem condições de antever desafios e se preparar para eles, não há espaço para gastos desnecessários. É mais fácil fazer com que tudo saia como o planejado, seguindo o plano estratégico corporativo. Isso pode significar duas coisas: redução de custos e aumento da receita. A análise baseada em dados ajuda a alcançar os dois caminhos.

Melhora dos níveis de produtividade

Por envolver o planejamento estratégico, o BI pode influenciar processos internos. Já que a intenção é buscar por melhorias contínuas, a produtividade aumenta, assim como a eficiência dos negócios. Com dados, o tempo para realizar uma determinada tarefa pode ser reduzido, assim como as decisões.

Confira tendências de Business Intelligence para empresas nos próximos anos

O uso do BI no ambiente corporativo está mais em alta do que nunca, como mostramos pela previsão de investimento na área por meio de dados da Gartner. Assim como a análise de dados, outras tendências de tecnologia prometem movimentar o mercado como ferramentas de apoio para o Business Intelligence. Vamos ver quais são elas? Acompanhe!

Inteligência Artificial (IA)

Se você acompanha notícias sobre os avanços tecnológicos, certamente já se deparou com a Inteligência Artificial (IA). O que era uma tendência, já faz parte do nosso dia a dia e ganhou força com o crescimento do mercado de aplicativos. 

Apps mais famosos como os de rota (Google Maps e Waze, por exemplo) usam o recurso para nos indicar o caminho até o destino que queremos. Uma simples busca na web utiliza a IA na hora de agrupar os resultados das nossas pesquisas.

Internet das Coisas (IoT)

Outra tecnologia que também já é uma realidade e está mais próxima do que imaginamos é a Internet das Coisas (IoT). Por meio dela, objetos do nosso cotidiano se tornam inteligentes ao serem conectados a sistemas e acabam otimizando uma série de tarefas. 

Uma das aplicações mais conhecidas vem da área da agricultura, que usa sensores a fim de acompanhar o desenvolvimento das lavouras. As casas inteligentes também já contam com algumas soluções, como desligar a luz ou fechar persianas com comando de voz.

Autoatendimento (Self-Checkout)

Uma tendência que mostra seus primeiros sinais de crescimento é o do autoatendimento, ou self-checkout. Já reparou em uma área reservada nos supermercados para compras sem pessoas nos caixas de atendimento? Quem passa os produtos, põe na sacola e paga é você.

Algumas lojas de roupas começam, aos poucos, a adotar o self-checkout em provadores para eliminar as filas nos caixas e otimizar o tempo dos clientes. Muito mais prático, não é? Essas são as aplicações que já são realidades, entre outras que estão por vir.

Automação e robôs inteligentes (Chatbots)

Quando falamos em tecnologia e em BI, uma das primeiras palavras que vêm à nossa cabeça é automação. Afinal, cada vez mais processos são otimizados por meio de softwares e robôs inteligentes (chatbots), assim como a receita gerada. 

Segundo um estudo da Capgemini, a união entre automação, robótica e inteligência artificial deve aumentar em até US$512 bilhões o faturamento das empresas em 2020. A demanda é impulsionada, principalmente, pela falta de profissionais com habilidades analíticas. 

Processamento de linguagem natural (PLN)

O uso da inteligência artificial também abre novos caminhos para o Processamento de Linguagem Natural (PNL). Sabe como isso funciona? O computador ou dispositivo móvel é capaz de reconhecer a fala humana (comando por voz) e processá-la para interagir.

É o caso de assistentes virtuais como a Siri, do iPhone, ou a Alexa, da Amazon. Ambas são ativadas por voz para nos passar as informações que procuramos. Aos poucos, as pesquisas por texto começam a dar mais espaço para pesquisas por comando de voz.

Compare as diferenças entre Business Intelligence, Big Data e Data Analytics

Depois de falar sobre o significado, benefícios e tendências, vamos ver dois conceitos que podem ser conectados ao Business Intelligence: Big Data e Data Analytics. Da mesma forma que o BI, ambos são aplicados em uma gestão data driven, isto é, orientada a dados. 

Por terem nomes e funções similares, muitas vezes os três são confundidos. Com o propósito de entender melhor o que cada um faz, suas diferenças e como podem ser conectados uns aos outros, analisaremos conceito por conceito. 

Big Data

Em poucas palavras, Big Data é nada mais, nada menos do que um banco de dados. Ele é formado por um volume massivo de dados estruturados (organizados em planilhas ou catalogados de alguma outra forma), semiestruturados e não estruturados (materiais brutos), gerados diariamente pelas empresas. Podemos dizer até que é uma versão em grande escala do Data Mining (mineração de dados).

Só para você ter uma ideia melhor, um estudo da BSA indica que são gerados 2,5 quintilhões de bytes todos os dias. O papel do BD é extrair todas essas informações, dos mais diversos tipos e fontes, com o intuito de oferecer ao negócio mais capacidade de tomar decisões.

O tema já foi retratado em filmes clássicos como Star Wars. Lembra do C-3PO e do R2-D2? Outro longa-metragem que explora o benefício das análises preditivas para antecipar acontecimentos é o Minority Report, de 2002. 

Aplicação com o BI

Como falamos, a principal função do Big Data é coletar e armazenar dados de diversas fontes — sites, blogs, mídias sociais, áudios, vídeos, ferramentas de CRM, registros de IPs, relatórios financeiros, entre outros. 

Esse banco de informações é, então, utilizado para abastecer sistemas de análise de dados, como o Business Intelligence. O processo de “peneirar”ou “minerar” começa aqui, com o BI, que transforma todas as informações coletadas em tabelas dinâmicas, painéis interativos ou relatórios de análise de performance.

Em suma, o Big Data reúne, compara e classifica um grande volume de dados, enquanto o BI transforma o conteúdo em insights precisos e valiosos para o crescimento da empresa. A partir dessa união, saem as estratégias para ganhar vantagem competitiva no mercado.

Data Analytics

O conceito de Data Analytics é bem próximo do Data Science. Podemos dizer, inclusive, que a única diferença entre eles é o foco. Enquanto o primeiro busca um conjunto específico de dados, o segundo atua com informações mais genéricas. O objetivo do DA é encontrar padrões dentro de um volume de dados. 

De uma forma mais clara, o analista de dados já conhece o “problema” e busca as “causas” para resolvê-lo. Por exemplo, vamos supor que a produção em uma área caiu. Por meio do Data Analytics, o gestor poderá encontrar o motivo e trabalhar na solução.

Aplicação com o BI

Embora o DA tenha os mesmos objetivos que o Business Intelligence, suas metodologias são diferentes. Ambos têm como principal função contribuir com a tomada de decisão a partir da análise e da mensuração dos dados. 

Com o Data Analytics, é possível ter acesso a um leque maior de recursos para estatísticas preditivas. Embora seja mais específico que o Data Science, ele tem um uso mais amplo que o BI. Isso significa que vai além dos negócios e pode ser aplicado também em pesquisas acadêmicas, por exemplo. O BI, por sua vez, é utilizado apenas no ambiente corporativo a fim de dar suporte aos gestores no planejamento estratégico.

De maneira resumida, ambos seguem a ideia de que a coleta de dados é uma ferramenta imprescindível para o crescimento do negócio. E, por meio de uma análise mais profunda, podem revelar o que acontece, como acontece e quando acontece. Ou seja, podem ser aplicados de forma complementar.

Implemente facilmente o BI em sua empresa com essas dicas

Este guia não estaria completo se não tivesse um tópico à parte, dedicado a sugestões para você implementar o Business Intelligence para empresas agora mesmo. Por isso, acompanhe nossas dicas para colocar o conceito em prática e começar a otimizar a tomada de decisão a partir da coleta de dados.

Afinal, quando falamos em mudar processos, buscar melhorias e gerar resultados, existe um passo antes de colocar a mão na massa. Toda mudança requer planejamento e tempo de adaptação. Então, vamos às dicas para uma transição tranquila e sem imprevistos? Acompanhe!

Avalie a necessidade de um software

O primeiro passo para implementar o BI na empresa é detectar necessidades de software. O que isso quer dizer? Que antes de investir, é preciso avaliar qual o melhor momento para investir em tecnologia. Se a projeção é de crescimento, se você quer otimizar tarefas ou precisa melhorar a produtividade da equipe, siga em frente. 

Essas são apenas algumas das razões que justificam o investimento em um software para análise de dados. Existem muitas outras, que variam de acordo com as necessidades de cada negócio. Por isso, faça um mapeamento e avalie a hora certa de contratar.

Escolha uma boa ferramenta de BI

Você fez uma análise de todas as áreas da empresa e percebeu que investir em um software é a melhor opção para alcançar seus objetivos. Sábia decisão! O passo seguinte é escolher uma boa ferramenta de Business Intelligence

A recomendação é não basear a escolha apenas por preço. Ela deve estar alinhada com o que você espera conquistar por meio da análise de dados. Vamos supor que o propósito é elevar os níveis de produtividade de uma determinada área da empresa. Pesquise opções no mercado, compare as funcionalidades e veja qual é a mais compatível.

Organize todos os dados coletados

Com o software definido, é hora de começar a colocar a mão na massa para valer a partir do gerenciamento de dados. Certifique-se de que a ferramenta pode ser integrada a outras plataformas que você já utilizada para resultados ainda mais otimizados. 

Para organizar as informações, visualizar métricas e definir indicadores de performance, é importante armazenar tudo em um lugar de fácil acesso às equipes que precisam. Por exemplo, dados como controle de ponto e folha de pagamento ficam disponíveis apenas para o time de Recrutamento e Seleção (RH).

Entenda como funcionam os KPIs

Depois de organizar os dados, é primordial estudar sobre os indicadores de desempenho (KPIs). Desse modo, você poderá escolher os melhores para tomar decisões mais certeiras conforme seu planejamento estratégico. 

Basicamente, KPIs são as métricas que vão indicar se o negócio está no caminho certo ou não. Aplicadas em conjunto às soluções de Business Intelligence, elas mostram que dados podem levar a empresa a alcançar seus objetivos. Dependendo dos resultados, ajustes podem ser feitos ao longo do caminho para melhorar o desempenho conforme as metas corporativas. 

Envolva toda a equipe na cultura data driven

Cultura organizacional é um ponto crucial para qualquer empresa. Aliás, é a base para qualquer mudança, já que envolve todos os níveis da organização. Por isso, é importante envolver líderes e colaboradores nessa cultura orientada a dados.

O mindset deve ser focado em data drive, uma vez que o BI só será eficaz se contar com a colaboração de todos. A coleta de dados, bem como a busca por resultados, é um trabalho coletivo. Isto é, as chances de sucesso aumentam quando todo mundo caminha na mesma direção e trabalha em prol de objetivos em comum.

Busque uma solução que atenda suas necessidades

Mudanças, mesmo que para melhor, exigem planejamento, cuidados e tempo de adaptação. Em função disso, nossa recomendação é que você contrate uma empresa de softwares personalizados para auxiliar nesse momento de implantação do BI.

Sabia que com suporte profissional você encontra soluções personalizadas para as necessidades do seu negócio? É uma segurança a mais poder contar com a estratégia, tendo em vista seus objetivos, a aplicação correta sem surpresas ou imprevistos e uma estrutura para guiar seus passos. Com a escolha certa, o negócio se torna sustentável e ainda mais rentável.

Enfim, é por meio de uma análise rica em detalhes e, principalmente, cheia de informações que a tomada de decisão ganha mais eficiência. Os sistemas de Business Intelligence para empresas vêm para suprir este papel estratégico que, muitas vezes, só precisa de uma organização, interfaces simplificadas, gráficos interativos e relatórios detalhados a fim de encontrar insights relevantes. O melhor investimento disso tudo é no conhecimento, que vai embasar todas as decisões e, não mais, apenas a intuição.

O que achou do guia? Se gostou do material que preparamos para você, compartilhe nas redes sociais e já comece a adotar o BI no seu dia a dia corporativo.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.