Entenda o que é Internet das Coisas (IoT) e como ela funciona

Inovação no ambiente empresarial não é tão difícil de alcançar quando pode parecer. Requer um comprometimento e investigação do que é relevante, além de organização interna a fim de aplicar novas ideias. É preciso também conhecer a fundo as tecnologias que estão em voga e entender suas aplicações e as perspectivas para o futuro delas.

A Internet das Coisas é uma das principais inovações dos nossos tempos e promete continuar revolucionando a produtividade das companhias. O objetivo é garantir maior responsividade, melhor comunicação e menos custos, o que impulsiona o crescimento a curto e longo prazo. Neste artigo, vamos conhecer esse conceito e discutir como ele funciona. Acompanhe!

O que é Internet das Coisas?

A Internet das Coisas (internet of things ou IoT) foi um termo cunhado por Kevin Ashton, em 1999, para descrever uma série de sensores sem fio, conectados via rede. Ou seja, trata-se de um conjunto de objetos integrados que permite uma capacidade maior de comunicação, monitoramento e inteligência.

Dentro de uma arquitetura IoT, existem três frentes principais: os dispositivos, a rede e um sistema de controle. Os dispositivos são os componentes e podem ser qualquer objeto do nosso mundo, como uma geladeira ou um relógio.

A rede é o meio pelo qual os dados transitam, levando valor de um ponto para outro. Por sua vez, o sistema controlador é o que analisa as informações e realiza ações. Essas ações podem ser uma intervenção direta do software no cenário ou simplesmente a transmissão de conhecimento para que colaboradores consigam analisar e chegar a conclusões. 

Os componentes conseguem perceber variações no local onde estão, por meio de sensores. Um exemplo disso é a movimentação de alguém diante de um sistema que detecta presença.

A rede permite que a informação do sensor navegue e encontre outras informações de outros sistemas, ao passo que o sistema central realiza a função principal — que no caso do sensor de presença, pode ser abrir uma porta.

O objetivo dessa tecnologia é tornar a vida do ser humano mais prática e inteligente, em todos os âmbitos. Com a capacidade de conectar diversos dispositivos, em um escopo maior do que o comum hoje, será possível obter dados relevantes sobre todas as questões da vida em um painel centralizado, o que facilita as decisões. 

Quais as aplicações?

Vamos, então, examinar as aplicações práticas da Internet das Coisas e entender como essa tecnologia é aplicável em diversos segmentos. Analisaremos tanto exemplos da vida pessoal quanto da profissional.

Indústria

Na indústria, temos uma das mais comuns aplicações de IoT. Esse paradigma já é usado para monitoramento de ativos fabris, o que ajuda a assegurar a qualidade deles e a consistência, além de evitar quebras e inconvenientes produtivos. Da mesma forma, os sensores ajudam a identificar necessidade de manutenção de maneira proativa, o que ajuda a agilizar o processo e prevenir paradas. 

Outro uso comum é na eficiência energética. Para esse caso, a IoT é usada para controlar o uso de recursos escassos, como a água, gerando insights sobre a utilização e desligando automaticamente os equipamentos quando não houver necessidade.

Saúde

Na saúde, a tecnologia impacta diretamente na qualidade da vida humana. Os componentes servem como auxiliares dos médicos e enfermeiros, monitorando os níveis de pressão sanguínea, frequência cardíaca e nível de glicose dos pacientes o tempo inteiro. Assim, é possível obter diagnósticos mais precisos e um entendimento mais claro das doenças, com medicações corretas e em doses ideais.

Agricultura

Temos que falar também da agricultura: nesse setor, o uso de sensores e drones ajuda a identificar regiões de plantio que necessitam de nutrientes, o que gera conhecimento para os gestores.

Em alguns casos, sistemas de irrigação podem ser acionados automaticamente, assim que houver necessidade. Tudo isso gera uma visão mais ampla da produção e contribui para a redução de erros e custos. 

Doméstica

Na vida doméstica, os objetos da IoT podem ser usados para impulsionar a conectividade e gerar conhecimento para o dia a dia. A geladeira, o relógio, o smartphone e até mesmo o microondas podem ser integrados para funcionarem em conjunto, agregando maior agilidade e eficiência aos processos cotidianos. 

Carros

Carros também já desfrutam do poder e capacidade dos sensores da Internet das Coisas. É possível monitorar o uso de energia, controlar e otimizar a eficiência do combustível, ajustar o clima e acompanhar melhor a distância percorrida.

Com o controle e a conexão, os motoristas conseguem saber em quanto tempo chegam ao destino, mesmo diante das condições variáveis, e se há alguma vaga de estacionamento disponível e qual é, por exemplo.

Quais as principais tendências?

Já traçamos a função da IoT e suas principais aplicações, agora, vamos compreender o que esperar do futuro desse conceito. 

Inovação nos sensores

É possível esperar sensores mais inteligentes e rápidos no futuro próximo. Isso vai otimizar a coleta de dados e gerar uma capacidade mais apurada de perceber o mundo e identificar os movimentos e as mudanças em um determinado cenário. Desse modo, a capacidade de monitoramento se tornará ainda mais poderosa.

Governança de TI

Diante do aumento de complexidade dos componentes e da rede, nascerá a necessidade de uma governança estruturada. Esse processo ajudará a garantir o comportamento apropriado dos componentes, com auditoria dos equipamentos, atualização e monitoramento constante. Assim, dá para assegurar o uso otimizado, sem problemas e inconsistências.

Edge Computing 

Atualmente, os dados da IoT têm que trafegar até o centro da rede, a fim de permitir decisões. No entanto, a Edge Computing, ou computação de borda, vai revolucionar isso ao possibilitar que escolhas e ações sejam feitas na “borda” da conexão, ou seja, em locais mais próximos dos objetos propriamente ditos.

Assim, a tecnologia será ainda mais eficiente e rápida, o que vai permitir lidar com as demandas dinâmicas do dia a dia e responder em tempo real.

Inteligência Artificial

Com o aumento no número de dados processados pela IoT e a necessidade de decisões em tempo real, a inteligência artificial será uma poderosa aliada. A área estuda formas de tornar computadores mais autônomos e lida com uma quantidade massiva de dados, buscando extrair insights valiosos deles ao identificar padrões e tendências.

Por isso, será crucial a fim de otimizar os resultados com os sistemas de Internet das Coisas. Com isso, os sensores se tornarão mais inteligentes e poderão sugerir melhores ideias para a gestão central. Além disso, se há maior capacidade de processamento, é possível cruzar diversas fontes e gerar uma visão ainda completa e assertiva.

A Internet das Coisas já é uma tendência que tem mudado a realidade da vida das pessoas e das empresas. É um paradigma focado em eficiência e em gerar conhecimento para os usuários, de uma forma ágil e inequívoca.

Uma das grandes vantagens é a possibilidade de aplicar em diversos campos profissionais, garantindo resultados positivos, como menos custos e maior produtividade e inovação em todos eles.

Gostou do conteúdo? Aprendeu bastante sobre esse importante assunto? Então, assine a nossa newsletter e seja sempre informado de atualizações via e-mail.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.