O que é transformação digital e como se preparar para ela?

Segundo o evento Cultura Digital Latam, realizado pela consultoria de treinamento Exec, a transformação digital é sobre o engajamento de pessoas. O conceito, que define um estado em que as operações e processos são totalmente dependentes das novas tecnologias, deve começar a ser implementado com os colaboradores, antes mesmo das ferramentas.

As características desse termo são: foco no cliente, agilidade e redução de custos. Para saber mais sobre como alcançar inovação com esse fenômeno, acompanhe o artigo.

Quando a transformação digital surgiu?

O conceito de transformação digital é recente, no entanto, já passou por algumas ressignificações. Por essa razão, é difícil precisar quando o termo surgiu. Muitos empresários ainda acham que o termo se refere ao uso indiscriminado de ferramentas tecnológicas avulsas, na medida em que elas surgem no mercado. Porém, veremos mais adiante que se trata de algo mais profundo.

Podemos, no entanto, nos ater ao seu significado mais atual. Essa versão foi atualizada no começo desse século e passou a abarcar as novas tecnologias do mercado, como Big Data, Business Intelligence, Blockchain, Internet das Coisas, Computação em Nuvem e Machine Learning.

A partir desse momento, o conceito passou a representar uma mudança completa na cultura das empresas. Não somente o uso de algumas ferramentas, mas o estado final de digitalização de todos os processos da companhia. As tecnologias assumem o papel estratégico central e controlam as operações, permitindo maior agilidade, eficiência e menos custos.

Com esse novo paradigma, surgiram novas empresas e formas distintas de fazer negócio. Essas organizações focam em proporcionar uma experiência diferenciada para os seus clientes, se esforçam para suprir as necessidades associadas ao mundo tecnológico e investem bastante em uma gestão mais inteligente, caracterizada pelo uso de dados.

Qual o seu impacto atual na sociedade?

Com a democratização do acesso à tecnologia, pessoas e empresas se encontram com facilidade. Os clientes buscam mobilidade, autonomia e praticidade para as decisões do dia a dia, e as companhias modernas tentam oferecer isso. A transformação digital gera inovação sem grandes dificuldades e entraves, tornando tudo mais fácil e ágil.

Esse fenômeno oferece mais velocidade e contribui para que tudo seja resolvido imediatamente. Inclusive, a expressão “tempo de internet”, usada por desenvolvedores a fim de descrever como tudo é muito rápido no ambiente virtual, faz bastante sentido nesse contexto.

Assim, fica fácil perceber que o relacionamento entre consumidores e marcas mudou também. Os clientes estão mais exigentes atualmente, pois dispõem de diversas opções e podem selecionar a que melhor atenda ao seu objetivo. Eles priorizam alguns princípios e buscam uma companhia que se adapte aos seus valores. Por isso, as abordagens dos gestores devem acompanhar essa mudança.

Outro impacto desse conceito é o foco em alguns conceitos-chave, como colaboração, criatividade, eficiência e inovação. Esses termos não somente devem ser estudados, mas aplicados a fim de proporcionar as mudanças que as empresas precisam.

É possível sobreviver no mercado sem aderir a essa tendência?

Se estamos falando de transformação digital, também estamos falando de um aumento considerável na concorrência. Afinal, a internet e as novas tecnologias proporcionam a capacidade de abrir um negócio com mais facilidade e atingir o público ideal sem gastar demais. Logo, investir nesse fenômeno é uma importante estratégia para garantir vantagem competitiva.

A transformação já é uma realidade atualmente, e as empresas que não se atentarem a isso já estão perdendo dinheiro, oportunidades e negócios lucrativos. Quanto mais os gestores pensam e ficam em dúvida sobre se devem aderir ou não, mais perdem para os concorrentes.

Caso as companhias decidam não ingressar, verão os seus clientes mudarem e abraçarem diferentes alternativas. Enquanto as outras empresas evoluem para modelos de negócio mais eficientes, a organização resistente permanecerá com descontrole de custos e problemas de gerenciamento, sem aproveitar o melhor que as tecnologias oferecem.

Como se preparar para a transformação digital?

Vamos tratar agora dos principais pilares da transformação e como é possível se preparar para esse fenômeno.

Levantamento das áreas que precisam de mudança imediata

Um dos primeiros passos é o levantamento das áreas que necessitam de mudanças profundas. Claro que estamos falando de um processo cultural, que requer que todos os setores estejam alinhados, mas é preciso começar com alguns pontos-chave. É necessário planejar bem como isso será feito, a fim de iniciar o processo com sucesso e estimular a evolução da digitalização.

Engajamento dos colaboradores

Como já falamos, a transformação é inviável sem o apoio e engajamento dos membros da empresa. É importante educar bem os funcionários e garantir que todos estejam dialogando no mesmo idioma, com os mesmos objetivos. A preparação das pessoas será crucial para que o uso das tecnologias seja o melhor possível e para que a mentalidade orientada à inovação seja realmente implementada com sucesso.

Mudança cultural

É importante também focar na revolução cultural da companhia, que é imprescindível para o fenômeno que estamos discutindo. O mindset da gestão deve acompanhar as novas tendências, focar nas novas ferramentas e priorizar eficiência, controle de custos e satisfação dos clientes. As tecnologias devem ser encaradas de uma maneira diferente, como um elemento central na administração.

Essa mudança cultural deve ser impulsionada pela busca constante por evolução dos processos e abordagens. É fundamental focar nos pontos relevantes desse fenômeno, como os que já mencionamos: colaboração, criatividade e inovação.

Automatização dos processos

Uma das estratégias concretas para a implantação da transformação é a automatização de processos. É a primeira abordagem prática de uma companhia que busca alcançar esse nível de conformidade com o mercado. Esse processo começa com algumas operações específicas, monitoramento dos resultados e deve ser seguido de replicação para outras áreas.

Com essa etapa, a companhia passa a depender ainda mais das tecnologias, com maior autonomia para as ferramentas. Desse modo, é possível eliminar gargalos operacionais, erros nas operações, perdas de tempo e descontrole de custos. Assim também, os colaboradores ficam mais livres a fim de trabalharem em funções mais estratégicas e criativas.

Foco na experiência do cliente

A experiência do cliente é um dos maiores focos das empresas nesse fenômeno. O objetivo de digitalizar processos e aprofundar as mudanças culturais necessárias é criar uma relação mais próxima com o consumidor, atendendo as suas dores de maneira segmentada e precisa. Por isso, para ingressar nesse fenômeno, o foco no cliente é um dos pontos mais relevantes.

A transformação digital altera totalmente a dinâmica das empresas em todos os setores. Desde o relacionamento com os clientes até a gestão de colaboradores. Por essa razão, é importante aprender sobre esse conceito e suas implicações, mas também investir nas etapas necessárias para tornar isso uma realidade.

Afinal, em tempos de alta concorrência, não se alinhar a esse fenômeno é perder dinheiro e posições no mercado, além de arriscar a sustentabilidade do negócio.

Gostou do artigo? Acompanhe a nossa página no Facebook e fique por dentro dos novos conteúdos.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.