Coronavírus e Big Data: como os dados ajudaram a entender a pandemia?

Em um cenário de pandemia, em que vidas humanas e a economia global estão em risco, a tecnologia tende a surgir com soluções inteligentes. Nesse contexto, é fácil entender a relação entre coronavírus e Big Data. Afinal, por meio da tecnologia, o vírus em questão pode ser combatido de um modo mais eficiente.

Isso ocorre porque, graças aos padrões e indicadores apontados pelo Big Data, governos e especialistas são capazes de identificar fatores críticos para interromper a transmissão da doença e até mesmo para encontrar sua cura.

Entenda como a apuração e a análise inteligente de dados tem ajudado no combate à Covid-19!

O Big Data no combate ao coronavírus

De um modo simples e resumido, podemos dizer que o Big Data é uma tecnologia que visa reunir e analisar uma grande quantidade de informações. Isso com a finalidade de identificar padrões úteis na elaboração de estratégias e em processos para tomada de decisões.

Levando essas características em consideração, é fácil perceber como a tecnologia tem contribuído na luta contra a Covid-19, pois, por meio dela, uma série de pontos sensíveis podem ser visualizados. Dentre eles, podemos citar os seguintes.

Zonas de risco e disseminação da doença

Enquanto não existe um tratamento ou uma vacina contra o coronavírus, é um consenso entre especialistas em saúde que o isolamento social é a solução mais efetiva. A grande questão é que manter esse isolamento e identificar as áreas em que ele se faz mais necessário, o que não é uma tarefa simples.

Ao fazer uso de fontes de informação, como imagens de câmeras públicas de segurança ou a geolocalização de smartphones, o Big Data é capaz identificar pontos e horários em que aglomerações ocorrem com mais frequência, o que abre espaço para que a ação dos agentes de fiscalização se torne mais eficaz.

Além disso, a tecnologia pode encontrar padrões que indiquem zonas de maior disseminação da Covid-19 e, com base no cruzamento de dados, identificar pessoas possivelmente contaminadas.

Pessoas mais propensas ao coronavírus

Outro benefício do Big Data é que, por meio da análise de dados, médicos e autoridades da saúde conseguem visualizar de um modo preciso o perfil das pessoas mais contaminadas pelo coronavírus. Uma vez que países diferentes podem apresentar cenários distintos, essa característica é útil para que as medidas de combate à doença estejam alinhadas à realidade do local em que devem ser aplicadas.

Além disso, os dados registrados são úteis para que os especialistas apurem os fatores que mudam a disseminação da doença em regiões diferentes.

Levando em consideração a grande quantidade de informações que devem ser analisadas, é importante ressaltar que soluções em inteligência artificial tendem a tornar essa tarefa muito ágil e precisa.

Os exemplos de países que utilizam o Big Data de modo eficiente

Quando pensamos na relação entre coronavírus e Big Data, e nos países que fizeram um uso inteligente da tecnologia, Taiwan se destaca. Isso ocorre porque, graças à implementação rápida de uma série de estratégias, todas baseadas em uma análise e cruzamento de dados, o país conseguiu impedir um surto de Covid-19.

Em primeiro lugar, o país adotou um sistema de monitoramento logo na entrada de indivíduos, provenientes de Wuhan, com a finalidade de identificar pessoas com sintomas como febre. Logo esse monitoramento se estendeu a todos aqueles que estiveram em áreas de risco nos últimos 14 dias.

Com a finalidade de tornar o combate à doença ainda mais eficiente, as autoridades do país realizaram um cruzamento de importantes fontes de dados, como a do Banco Nacional de Seguros de Saúde com as informações registradas nos sistemas de imigração do país.

Por meio desse cruzamento de dados, as autoridades foram capazes de identificar, tanto pelos sintomas de cada paciente quanto por seu histórico de viagens, quem deveria ser tratado de modo mais urgente.

Além disso, é válido ressaltar que o país fez uso dos indicadores, gerados pelo Big Data, para realizar investimentos na aquisição de máscaras de proteção e na compra de equipamentos de saúde mais específicos.

Graças a esses cuidados, e ao uso inteligente da tecnologia, Taiwan foi capaz de impedir o surto de coronavírus, se tornando assim um dos países menos afetados pela doença.

A importância da apuração de dados de qualidade

Embora a atuação de Taiwan tenha sido bem-sucedida, esses resultados só foram possíveis porque o país conta com fontes seguras e completas de informações, que podem ser usadas no planejamento de políticas públicas e na prevenção em situações como a pandemia do novo coronavírus.

Tais fatos demonstram que, para que o Big Data seja utilizado na elaboração de estratégias, estejam elas relacionadas a políticas públicas ou a práticas inteligentes de negócios, é necessário que dados de qualidade sejam devidamente apurados e registrados.

Agora que você entende a relação entre coronavírus e Big Data, e sabe como a tecnologia pode beneficiar o combate à Covid-19, que tal difundir esse conhecimento? Compartilhe o artigo em suas redes sociais para que seus amigos tenham acesso a essas informações!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.