5 maiores erros ao criar chatbots que você deve evitar na empresa

Conforme a tecnologia avança, novas soluções são criadas para empresas. Dentre as inovações recentes, podemos dizer que os softwares capazes de interagir com os clientes de forma humanizada se destacam. Por esse motivo, estar de olho nos principais erros ao criar chatbots é relevante.

Por meio da aplicação dos chatbots, empresas podem encaminhar clientes com dúvidas simples a um software capaz de ajudá-los. O que abre espaço para que os colaboradores humanos sejam alocados de modo estratégico na resolução de questões complexas.

Para que a tecnologia de fato seja capaz de entregar essas vantagens, porém, é necessário que os responsáveis pelo seu desenvolvimento tomem os devidos cuidados. Afinal, alguns erros, aparentemente simples, podem comprometer todo o projeto.

Levando esse fato em consideração, preparamos este conteúdo para ajudar você a fugir desse problema! Leia o artigo e descubra agora 5 erros ao criar chatbots que você deve evitar.

1. Não considerar o público-alvo

Em primeiro lugar, é importante que tanto a empresa quanto os responsáveis pelo desenvolvimento da aplicação tenham em mente que o objetivo do chatbot é interagir com o público.

Considerando a complexidade da comunicação humana, para que o chatbot de fato seja bem-sucedido, ele precisa ser capaz de usar a mesma linguagem das pessoas que vão entrar em contato com ele. Isso exige que o time de desenvolvedores conheça a fundo o público-alvo a quem o software é dirigido.

Sem esse cuidado, é possível que as pessoas que entrarem em contato com a aplicação tenham uma experiência ruim. Uma situação que, além de fazer com que não consigam resolver seus problemas, pode levá-las a evitar recorrer à empresa no futuro. Portanto, o ideal é que o negócio trabalhe com os desenvolvedores para que a solução desenvolvida por eles, de fato, esteja alinhada ao perfil de seus clientes.

2. Dar pouca importância a personalidade do chatbot

Um ponto muito importante, que infelizmente costuma ser desconsiderado, é a personalidade do chatbot. O que é um erro, pois, se os usuários se sentirem desconfortáveis com esse fator, é provável que eles evitem o contato com a empresa por meio da aplicação.

Para empresas que desejam automatizar o primeiro contato com seus clientes por meio de soluções como o chatbot para WhatsApp, por exemplo, essa situação seria um grave problema.

Caso o primeiro tópico tenha sido observado, e os desenvolvedores levaram em consideração o público-alvo da aplicação, essa etapa tende a ser mais simples. Afinal, fatores importantes, como qual a linguagem mais adequada, já vão ter sido identificados.

Mais do que apenas isso, porém, os responsáveis pelo projeto precisam fazer com que a personalidade do chatbot seja amigável para o ser humano, mas sem necessariamente se passar por uma pessoa, o que poderia causar um certo desconforto ou estranheza para os clientes.

3. Não orientar corretamente o cliente

Via de regra, quando uma pessoa entra em contato com uma empresa, ela quer saber mais a respeito de um produto ou serviço, fazer uma reclamação ou esclarecer dúvidas. Nesse contexto, sem a devida orientação, os clientes podem se sentir frustrados ao lidar com o chatbot.

Isso acontece porque, embora a tecnologia esteja evoluindo rapidamente, ela ainda não é capaz de resolver determinados problemas mais complexos. De modo que, em certas situações, a aplicação simplesmente não será capaz de ajudar o cliente.

Em uma situação como essa, se o cliente não tiver uma opção que permita entrar em contato com um atendente humano, ele pode se ver forçado a fazer reclamações na internet ou, até mesmo, a recorrer a organizações de proteção, como o PROCON.

Para evitar esse problema, e garantir uma boa experiência para o consumidor, o ideal é que assim que o cliente entrar em contato com o chatbot da empresa, ele receba uma série de opções de problemas com que a aplicação é capaz de lidar.

Além disso, evitar mensagens muito longas ajuda que o cliente entenda as opções de atendimento disponíveis. Sem contar que sempre deve haver uma opção para que a pessoa contate um atendente humano.

4. Desconsiderar o aprendizado do chatbot

Para que o chatbot seja capaz de lidar com os usuários, respondendo às suas dúvidas, ele precisa ser alimentado com uma série de dados relacionados às interações que terá com os clientes.

Sem essa fonte de dados, o software simplesmente não será capaz de lidar com os problemas dos clientes da empresa. No mínimo, o escopo de suas respostas será muito limitado, o que pode reduzir drasticamente a sua eficiência. Por esses motivos, desconsiderar o aprendizado pode ser considerado um dos principais erros ao criar chatbot.

Nesse contexto, o uso de tecnologias, como Machine Learning e Big Data, abre espaço para que o chatbot da empresa aprenda sozinho com as interações com os clientes, de modo que, ao longo do tempo, conseguirá se tornar mais eficiente.

Dependendo do tipo da empresa, e da quantidade de atendimentos que pretende fazer por meio do chatbot, contar com essas tecnologias pode ser a solução mais adequada e que apresenta o melhor custo-benefício.

5. Não contar com o suporte de profissionais especializados

Dadas as características de um chatbot, e a importância dessa ferramenta, não é difícil chegar à conclusão de que o seu desenvolvimento deve ser feito por profissionais capacitados e experientes. Caso a empresa não tome esse cuidado, existem grandes possibilidades de que adquira uma solução ineficiente.

Uma vez que um atendimento de qualidade é de suma importância para empresas, principalmente nesse período em que os mercados estão cada vez mais acirrados, uma aplicação ruim pode causar grandes problemas. Afinal, um atendimento ineficiente tende a afastar muitos clientes.

Portanto, antes de contratar um time de desenvolvedores, é necessário verificar a formação de seus participantes e sua experiência. A reputação também é muito importante. Nesse contexto, empresas sérias, como a Kazap Tecnologia, conhecidas no mercado pela qualidade de seus serviços, devem ser priorizadas.

Os chatbots surgiram como uma ferramenta capaz de otimizar e acompanhar o desempenho do atendimento aos clientes. Por meio dessa tecnologia, redes sociais e aplicativos, como o WhatsApp, podem ter um processo automatizado, o que abre espaço para que a empresa se torne ainda mais presente e próxima de seus clientes.

Para que a tecnologia de fato entregue bons resultados, porém, é fundamental que ela seja desenvolvida com o devido cuidado. Prevenir os principais erros ao criar chatbots é um dos primeiros passos para que a estratégia tenha o sucesso esperado.

Você já cometeu algum desses erros ao criar chatbots? Vai ficar mais atento agora, para evitá-los? Deixe um comentário e compartilhe conosco a sua opinião sobre este tema! 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.