O que é Blockchain, como ele funciona e quais áreas podem usá-lo?

Nos últimos anos, Blockchain permaneceu como uma das palavras da moda na indústria de tecnologia. E não podemos dizer que isso é um exagero.

Embora a primeira versão do Blockchain tenha sido introduzida pelo protocolo Bitcoin como uma forma de “dinheiro eletrônico ponto a ponto”, a tecnologia tem implicações muito além das transações financeiras. Na verdade, se você tem dados valiosos que precisa preservar, o Blockchain pode ser a chave para protegê-los contra ameaças de segurança e garantir sua integridade.

Mas não é só isso. Neste artigo, nós explicamos o funcionamento por trás da tecnologia e apontamos quais áreas e setores podem se beneficiar dela. Confira!

O que é a tecnologia Blockchain?

Blockchain pode ser definido como uma cadeia de blocos que contém informações. A técnica destina-se a registrar a data e a hora de documentos digitais de forma que não seja possível retrocedê-los ou moderá-los. O objetivo é resolver o problema de registros duplos sem a necessidade de um servidor central.

A tecnologia é usada para a transferência segura de itens como dinheiro, propriedade, contratos etc., sem a necessidade de um intermediário de terceiros, como banco ou governo. Uma vez que os dados são registrados dentro de um Blockchain, é muito difícil alterá-los.

O Blockchain é um protocolo de software (como o SMTP é para e-mail) e também é chamado de meta-tecnologia, pois afeta outras tecnologias. É composto por várias partes: um banco de dados, aplicativo de software, alguns computadores conectados, entre outros.

Por que é tão relevante nos dias atuais?

Como o Blockchain pode simplificar e eliminar intermediários terceirizados, ele é capaz de fornecer uma maneira mais rápida e barata de compartilhar dados comerciais ou informações pessoais essenciais e confidenciais. Ele também cria uma trilha digital indiscutível de transações, possibilitando a você auditar essa trilha para saber exatamente o que está acontecendo em sua rede.

Em outras palavras, ele garante que você esteja baseando as decisões de negócios em dados precisos e confiáveis, permitindo que você crie um registro digital verificável de cada transação financeira, processo, tarefa, contrato e muito mais.

No entanto, o Blockchain é mais do que apenas um banco de dados transacional para dados críticos. Depois que os dados são confirmados em um Blockchain, é permanente e quase impossível de manipular ou hackear. Dessa forma, as empresas que adotam a tecnologia podem operar de forma mais enxuta e eficiente, com maior confiança na segurança de seus dados.

É por isso que as organizações estão recorrendo à tecnologia para resolver uma ampla gama de problemas, incluindo garantia de qualidade, contabilidade, gerenciamento de contratos, gerenciamento da cadeia de suprimentos e proteção de dados. Independentemente do seu setor ou tipo de negócio, o Blockchain tem potencial para ajudar a cortar custos, melhorar o atendimento ao cliente ou aumentar a eficiência geral.

Já temos Blockchain no Brasil?

Embora o Blockchain tenha se tornado uma tecnologia emergente que está estabelecendo as bases para uma nova internet (Web 3.0), é importante perceber que a adoção não está acontecendo apenas online. Também está ocorrendo no mundo físico, em indústrias bem estabelecidas. Mais importante, a inovação não está surgindo exclusivamente no Vale do Silício, de onde muitas tecnologias tradicionalmente vêm. Em vez disso, inovadores em Blockchain estão distribuídos em todo o mundo.

No Brasil, uma variedade de organizações (startups, grandes corporações e organizações sem fins lucrativos) estão avançando na adoção de Blockchain. Segundo um estudo realizado pela Criptomoeda.org, o Brasil é o 11º país em uso da tecnologia no mundo.

Por outro lado, nós ainda não temos uma legislação própria. O Projeto de Lei 2303, de 2015, que dispõe sobre a regularização das criptomoedas e seus universos digitais, incluindo o Blockchain, ainda aguarda tramitação na Câmara dos Deputados. Ainda assim, muitas iniciativas têm surgido no país. Vamos falar sobre algumas delas.

Cielo: pagamentos no ponto de venda

Em 2019, a Cielo, operadora de cartões de crédito e débito, passou a oferecer suporte a criptomoedas em dispositivos de ponto de venda. Os clientes em várias empresas passaram a ter a capacidade de enviar criptografia para dispositivos POS por meio de um código QR em contas Uzzo ou Criptohub.

Microsoft Farmbeats: maior eficiência para agricultura

Em junho de 2019, a Microsoft anunciou que havia registrado um conjunto de aplicativos no Brasil chamado Farmbeats, que usa Blockchain, drones, IoT, inteligência artificial e Big Data para melhorar a produtividade agrícola. Já foi usado nos Estados Unidos, Índia, Nova Zelândia e Quênia com ótimos resultados na redução do consumo de água.

Cyrela e a Growth Tech: gravando documentos oficiais

Em julho de 2019, a gigante da construção Cyrela e a startup Growth Tech concluíram a primeira venda imobiliária baseada em Blockchain no Brasil. As duas empresas usaram o Notary Ledgers, um serviço da Growth Tech que usa a tecnologia da IBM para permitir que os usuários solicitem e rastreiem os serviços notariais.

De acordo com um comunicado à imprensa, isso permitiu que o negócio fosse concluído em menos de 20 minutos. Essa é uma grande economia de tempo, considerando que o tempo médio para uma transação imobiliária sem Blockchain leva cerca de um mês.

O que esperar para o futuro do Blockchain?

À medida que as empresas usam o Blockchain para gerar maior transparência e veracidade em todo o ecossistema de informações digitais, elas estão aumentando a conscientização sobre a tecnologia em setores que vão de infraestrutura a políticas públicas. Algumas formas inovadoras mais recentes pelas quais as empresas estão aproveitando o poder do Blockchain — que deve crescer no futuro — são:

  • gerenciamento mais eficiente da cadeia de suprimentos;
  • melhor garantia de qualidade e auditoria;
  • execução inteligente de contratos;
  • transações comerciais mais rápidas com taxas mais baixas.

No Brasil, como observamos, a regularização do Blockchain é uma etapa essencial para garantir o avanço do país no uso da tecnologia, e podemos dizer que ainda temos um caminho a percorrer.

O Banco Central (BC) afirmou que adotará oficialmente as novas diretrizes de criptografia do FMI. As criptomoedas negociadas serão classificadas como produtos não financeiros e serão contabilizadas como mercadorias no balanço do Banco Central. Outro destaque é que, recentemente, o BC anunciou a quarta edição do seu programa de inovação — Laboratório de Inovações Financeiras Tecnológicas (LIFT Lab) —, aceitando inscrição de projetos baseados em Blockchain, o que é bastante animador.

Por fim, vale destacar que a tecnologia Blockchain, sem dúvida, veio para ficar e mudará a cara dos negócios como a conhecemos nos próximos anos. Por esse motivo, é fundamental que as empresas fiquem atentas aos movimentos do mercado e às tendências relacionadas.

E você, gostaria de acrescentar algo sobre o assunto ou conhece alguma iniciativa de Blockchain inovadora? Conte para a gente nos comentários abaixo!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.